Como renovar a sua imagem de marca?

2 Mins

O que diferencia as grandes empresas das mais pequenas é a forma como se comunicam e transmitem a sua imagem de marca. Nike e Coca-Cola são claros exemplos de que o mais importante é a maneira em como apresentam um produto e não o artigo em si. Ainda que pareça uma tarefa difícil para os negócios mais pequenos, as PMEs também se podem beneficiar com uma boa campanha de marketing moderna, estruturada e eficaz. 

Com o auge do branding e o design gráfico, muitas empresas entendem a importância de se conectar com os consumidores e, por tanto, de atualizar a sua identidade corporativa. Esta tarefa supõe uma mudança mais significativa que simplesmente renovar o logótipo. 

Cada vez mais empresas recorrem a agências de comunicação e marketing para modificar a sua imagem e adaptar-se a um mercado em constante transformação. Para conseguir ambos objetivos é preciso trabalhar em duas vertentes (conceitual e visual) e centrar-se em quatro elementos: 

  • Definição da marca
  • Posicionamento 
  • Logótipo 
  • Comunicação 

O componente mais tangível é o logótipo, que simboliza a marca e a distingue do resto. Uma das últimas tendências em design, influenciada pela Internet, é a simplificação. Em concreto, o flat design (desenho plano), criações sem grandes medidas nem volumes. Isto deve-se principalmente a que o consumidor já não lê. Só vê.

Os objetivos a nível de marketing variam em função das necessidades de cada marca: consolidação no mercado, renovação de princípios, busca de notoriedade… Em qualquer caso, as empresas devem dar os seguintes passos: 

Quando? A maioria das opiniões de especialistas é coincidente, a reforma da imagem visual deve estar motivada por uma mudança na estratégia ou no modelo de negócio da empresa. No entanto, se uma marca identifica algum erro, convém fazer uma mudança visual imediatamente. Quanto mais tempo estejam visíveis as falhas, pior, pois afeta ao prestígio da empresa. 

Como? Numa primeira fase de análise e diagnóstico, as agências definem uma estratégia para conhecer melhor a empresa. Esta etapa serve para definir a direção e os objetivos da marca a curto e médio prazo. O mais importante é identificar qual o valor atual da imagem da companhia. Uma vez determinada a identidade conceitual, é tempo de começar a trabalhar na parte visual. Depois de criar toda a sua linha gráfica, planifica-se a aplicação dessa imagem em suportes físicos e digitais. 

Onde? Em primeiro lugar, a mudança deve-se comunicar sempre aos empregados para obter a opinião deles e estimular o sentimento de pertença a uma entidade corporativa. Este gesto pode traduzir-se num aumento de produtividade. Superado este processo, é o momento de comunicar ao público e implementar as novidades. 

Quanto? O orçamento para estos projetos dependerá do número de suportes onde se aplique a nova imagem. Os preços variam em função de cada caso concreto e a dimensão de cada cliente.  

Porque? A renovação da imagem é uma prioridade estratégica. Muitas empresas têm dificuldades em adaptar-se às redes sociais, ao e-commerce e às aplicações pelos seus condicionamentos técnicos, específicos em cada suporte. 

A necessidade de adaptação afeta tanto às pequenas como às grandes empresas. Por exemplo, a maça mordida da Apple não foi sempre a imagem de marca da empresa fundada pelo Steve Jobs. O logótipo original era uma ilustração clássica inspirada na maça de Newton. Para melhorá-lo, Jobs encomendou o designer Rob Janoff uma imagem mais moderna. Nesse momento nasceu o atual ícone, primeiro em tons arco-íris, depois em prateado e agora em cinzento. O logo combina dois conceitos, ‘bite’ e ‘byte’ (morder, em inglês) e simboliza o conhecimento.